Novos projectos de investigação: Saberes geográficos e Geografia institucional

Saberes geográficos e Geografia institucional: influência e relações recíprocas entre Portugal e o Brasil no século XX

Projecto FCT/CAPES

Instituições:

Centro de Estudos Geográficos, Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa

Programa de Pós-Graduação em Geografia, Instituto de Geografia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Investigadores responsáveis:

Francisco Roque de Oliveira (Portugal) e Mônica Sampaio Machado (Brasil)

Equipa CEG-IGOT:

Francisco Roque de OliveiraJorge Macaísta MalheirosEduardo Brito HenriquesLuís André Ladeira Seixas do CarmoJonathan Felix Ribeiro LopesDaniel André Fernandes Paiva

Equipa UERJ e UFF:

Mônica Sampaio Machado, Susana Mara Miranda Pacheco, Cristina Pessanha Mary, Jorge Luis Barboza, Andréa Ribeiro Mendes, Angela Nunes Damasceno Gomes, Ciro Marques Reis, Paulo Cezar de Barros, Ilaina Damasceno Pereira

Início: Março de 2016

 

Resumo

Este Projecto propõe-se produzir uma primeira leitura integrada sobre a história das relações científicas e institucionais entre Portugal e o Brasil no domínio da Geografia, ao longo do século XX. A investigação destacará seis autores cujos percursos e obras permitem iluminar a forma como se processaram estes contactos e as influências recíprocas daí resultantes. Simultaneamente, serão estudadas algumas das mais importantes relações estabelecidas entre a Geografia e outros domínios disciplinares, como a História, a Antropologia, a Sociologia e a Ciência Política, cujo contributo foi determinante para afirmar a especificidade do relacionamento realizado pelos académicos e intelectuais portugueses e brasileiros em torno dos temas geográficos. O Projecto inclui um primeiro levantamento sistemático dos trabalhos publicados por geógrafos brasileiros e portugueses em revistas científicas de Portugal e do Brasil, respectivamente.

 

Objectivos

Este Projecto visa realizar uma primeira leitura integrada sobre a história das relações científicas na área da Geografia entre Portugal e o Brasil ao longo do século XX. A despeito deste amplo marco cronológico, a pesquisa privilegiará o período posterior à II Grande Guerra, quando ambos os países consolidam a rede de cursos universitários e de centros de investigação de Geografia. O estudo será centrado em seis autores: os portugueses Jaime Batalha Reis (1847-1935), Jaime Cortesão (1884-1960) e Orlando Ribeiro (1911-1997), e os brasileiros Milton Santos (1926-2001), Therezinha de Castro (1930-2000) e Mauricio de Almeida Abreu (1948-2011). Esta selecção de autores permitirá seguir o tratamento de um conjunto de temáticas simultaneamente diversas e centrais na Geografia, com destaque para os estudos urbanos, a geopolítica, a cartografia e a história do território. Do mesmo modo, o intervalo cronológico considerado permite cobrir os momentos mais representativos da evolução teórica e metodológica da Ciência Geográfica desde a institucionalização da disciplina, no último quartel do século XIX.

Como linha de investigação principal, será rastreada a presença efectiva de conteúdos sobre o Brasil na obra de cada um dos autores portugueses seleccionados, e vice-versa. Avaliaremos ainda o impacto recíproco das obras dos mesmos autores em todos aqueles casos em que a afinidade temática tenha possibilitado a ocorrência desse diálogo. Finalmente, proceder-se-á a um primeiro levantamento dos artigos publicados pelos geógrafos de cada um dos países nos periódicos científicos de referência do outro país, da presença de geógrafos de cada um dos países nos principais eventos científicos organizados no outro país, e ainda à presença de bolseiros brasileiros e portugueses nas principais instituições de ensino e de pesquisa de Lisboa e do Rio de Janeiro. São seleccionados estes dois casos atendendo ao facto de ambas as cidades terem sido capitais nacionais durante a maior parte do período estudado.

Esta investigação sobre a prática da Geografia nos dois países será articulada com uma leitura mais abrangente, atenta ao modo como os sucessivos contextos nacionais enquadraram as políticas científicas e, em última análise, condicionaram a própria intensidade do relacionamento entre os geógrafos portugueses e brasileiros. Por outro lado, a circulação do saber geográfico entre Portugal e o Brasil não mobilizou apenas os geógrafos profissionais, tal como alguns dos seis nomes seleccionados logo o indicam. Nesse sentido, analisaremos também algumas das mais importantes relações estabelecidas entre a Geografia e outros domínios disciplinares próximos, como a História, a Antropologia, a Sociologia e a Ciência Política, de onde proveio um importante fluxo de ideias que ajudou afirmar a especificidade do relacionamento realizado pelos académicos e intelectuais portugueses e brasileiros em torno dos temas geográficos.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s